posta mais
Anônimo

so amanha

Há 3 dias · 0 notas · reblog
Você postou dois repetidos
Anônimo

é pq a net esta muito ruim

Há 3 dias · 0 notas · reblog
diz que vai ter web hoje, pq vc solta um spoiler desse , quer me matar?? pague meu marca-passo dona
Anônimo

postei

Há 3 dias · 0 notas · reblog

Closer XCVI

Arthur acordou na manhã seguinte. Estava de bruços na cama, enrolado no lençol, e a luz do sol entrava pelo vidro das janelas. Ele tateou a cama ao seu lado, procurando o corpo de alguém, mas não o encontrou. Abriu os olhos, e olhou pra cama vazia. Ergueu a cabeça, e não havia ninguém no quarto. Ele se enrolou no lençol e se levantou, passando a mão no rosto.
.

Uma nota de sua autora: Tive lindas visões agora.
.
Lua: Procurando alguém? – Perguntou, sorridente, na porta do banheiro. Ele se virou e sorriu ao olha-la, também enrolada em um lençol.

Arthur: Pensei que você tinha fugido. – Assumiu, rouco pelo sono interrompido.

Lua: Ainda não. – Assinalou, se sentando na cama, amparando as costas na cabeceira da mesma.

Arthur: Que horas são? – Perguntou, coçando o cabelo.

Lua: Vai dar 11. – Respondeu, tirando o cabelo do rosto. Ela viu Arthur catar sua roupa no chão – Vai sair?

Arthur: Vou resolver um probleminha que eu criei. – Disse, pondo a cueca. Lua sabia onde ele ia, e sorriu, contente. – Você vai ficar aqui. Bem linda, esperando que eu volte. – Disse, engatinhando na cama até ela, apenas com a boxer preta.

Uma nota de sua autora: Visões, visões, visões.

Lua: Eu vou? – Perguntou, sorrindo. Ele puxou as duas pernas dela, fazendo ela deitar na cama, e ela riu, sentindo ele se deitar sob seu corpo.

Arthur: Vai. Vai ficar bonitinha, me esperando. Quando eu voltar, - Ele mordeu o canto da boca dela, sorrindo – Nós vamos continuar de onde paramos ontem. – Lua riu, e ele sorriu – E não vamos sair desse quarto hoje. – Lua arregalou os olhos – Desejo demais guardado, María. Você vai sofrer na minha mão. – Avisou, com tom malicioso, e ela riu novamente.

Lua: Vou pensar no seu caso. – Disse, passando a mão no cabelo curto dele – Gostei do cabelo. – Comentou, sorrindo.

Arthur: Interprete como quiser. – Disse, recuando. Havia um q nervoso na voz dele.

Lua: Volte aqui. – Disse, pegando ele pela orelha. Ele riu e engatinhou pra cima dela novamente – Se quer receber uma resposta positiva, é bom fazer isso direito.

Arthur: Torne as coisas fáceis, só diga sim. – Lua negou – Ok. Eu não tenho um anel aqui. – Ergueu a sobrancelha

Lua: Me dá depois. – Disse, sem dar papo – Vamos, Arthur! – Ela deu um tapinha nele.

Arthur: Ok. Lua María, amor da minha vida, luz dos meus olhos, músculo da minha perna, sangue do meu coração, - Lua arregalou os olhos e riu – Motivo pelo qual eu me levanto de manhã, quer namorar comigo? – Perguntou, erguendo a sobrancelha. Aquilo era uma ameaça caso ela rendesse conversa.

Lua: Melhorou. – Disse, e ele sorriu, aliviado – Quero. – Ela abraçou ele pelo pescoço.

Arthur, com um sorriso delicioso no rosto, se inclinou sob ela e a beijou docemente, um beijo cheio de perdão, de saudade, de promessas, que selava um longo e promissor futuro.

Lua teve a impressão de ter acabado de cochilar novamente, quando o barulho começou. Ela havia se deitado de lado, conchinha, ainda enrolada no lençol. A corrente de Arthur enfeitando seu pescoço. Ele nunca deixara ninguém usar aquela corrente, e agora dera a ela, disse que era por garantia. A corrente era prateada, e o pingente era redondo (O Still da Vonégo, gente.). Ela abriu os olhos, e encontrou as amigas lá.

Sophia, Kristen e Melanie: YOU’RE SO BEAUTIFUL! ♫

Lua: O que, minha gente? – Perguntou, divertida, coçando os olhos.

Sophia, Kristen e Melanie: SO DAMN BEAUTIFUL! ♫

Lua: Parou. – Disse, prendendo o riso. Sophia e Kristen cantavam abraçadas, e Melanie dançava, pulando no colchão.

Sophia, Kristen e Melanie: YOU’RE SO BEAUTIFUL! ♫

Demorou algum tempo pra cantoria parar. Enfim, encheram a ruiva de perguntas, e blábláblá. Lua contou tudo, a briga, a pancadaria, o desfecho. No final, a algazarra reinou. Porém, depois cada uma foi pros seus afazeres: Melanie limpar a geladeira, Kristen varrer a casa, Sophia catar a roupa suja. Lua se negou a se levantar.

Sophia: QUE SUSTO! – Gritou, jogando uma almofada em Micael. Ela estivera abaixada, conferindo embaixo das camas, a procura de roupas. Saira de lá com 3 Jeans e 5 camisas.

Micael: Você tá no meu quarto, sabe. – Disse, divertido, cruzando os braços.

Sophia: Percebi. – Disse, se abaixando pra conferir debaixo das camas de Arthue e Micael. – Vem cá, não tem lugar melhor pra guardar roupa suja que debaixo da cama não? – Perguntou, a voz abafada. Saiu dali com 2 calças, 4 bermudas, 1 camisa e 2 casacos.

Micael: Na verdade, não. – Debochou.

Sophia revirou os olhos e se abaixou, arrancando os lençóis de cama. Era muita cara de pau. Ela pegou o primeiro lençol e estendeu na cama de Arthur, jogando o bolo de roupa que achou debaixo das camas nele, e enrolando em uma trouxa. Ela pegou os travesseiros de Arthur e começou a retirar as fronhas, distraída, quando ele a abraçou por trás.

Salve seus beijos pra mim
Mostre-me como sente minha falta ♫
.
Sophia: O que… Micael?! – Protestou, sentindo as mãos dele se apossarem de sua barriga.

Micael: Hum? - Perguntou, divertido.

Sophia: Fazendo favor de me soltar? – Perguntou, virando-se pra encarar ele.

Micael: Porque? Olha, ninguém vai vir aqui. Todos saíram. O quarto é nosso. – Disse no pé do ouvido dela, com um tom malicioso. A pele de Sophia se arrepiou, e ele viu isso.

Sophia: O quarto é todo seu. – Corrigiu, se desviando dela

Micael: Você me beijou ontem. – Alegou

Sophia: Eu o que? Cara de concreto. – Acusou, se soltando dos braços dele.

Micael sorriu, dando corda. Sophia se soltou dos braços dele e pegou a trouxa de roupa, tendo desistido das roupas de cama, e ia sair. Ele foi atrás dela, surpreendendo-a, e após vira-la de frente pra si, a carregou. Sophia estapeou ele, mas riu quando ele mordeu seu colo pelo decote da blusa. A trouxa caiu no chão e se desfez, espalhando a roupa por lá.

Sophia: Desista. – Aconselhou, olhando pra baixo, pra poder encara-lo.

Micael: Coopere. – Aconselhou, fazendo-a enlaçar as pernas em sua cintura.

Sophia: Você é muito cara de pau. – Acusou, dando um tapinha de leve no rosto dele.

Micael riu e deitou ela em sua cama, ficando por cima. Sophia percebeu a situação. Ele tinha razão, ninguém iria entrar ali por um bom tempo. Ela ia terminar cedendo.

Sophia: Mika, sério. – Disse, tentando se desviar dos carinhos dele.

Micael: O que? – Perguntou, passando os lábios entreabertos pelo pescoço e ombro dela. Lhe causava vertigens.

Sophia: Não. – Disse, convicta.

Micael: Porque não? – Questionou, e ela sentiu as mãos quentes dele entrarem em sua blusa, tocando sua cintura. Deus, já fazia tanto tempo…

Sophia: Porque não. Eu não posso. – Disse, já se abalando.

Micael: Você quer. – Contrariou. Sophia gemeu, exasperada – Diga que eu minto. Diga que não me quer. – Provocou, mordendo a trave da boca dela.

Ela queria, sim. Mas tinha medo da dor que isso lhe causaria, quando ela estivesse só. Seu corpo gritava pelo dele, porém se ela permitisse, pagaria caro depois.

Sophia: Eu vou gritar. – Rebateu, apelando.

Micael: Ninguém vai te ouvir, bebê. Todos estão ocupados.

Sophia: Eu sei de alguém que vai me ouvir. – Micael ergueu a sobrancelha – PEDR…! – Ele pôs a mão na boca dela, que riu.

Micael esperou. Aparentemente, a falta da ultima letra impediu que a praga aparecesse. Sophia ria, sapeca, com a boca coberta pela mão dele. Ele a encarou, e ela riu mais ainda, abafada. Ele sorriu, deu um beijo na testa dela, em seguida descobriu sua boca para beija-la.
.
Tudo é tão fácil,
Meu amor ♫
.
Sophia correspondeu ao beijo. Era um preço que ela podia e queria pagar. A língua dele buscava a dela, ávida, sedenta. Sophia, antes que perdesse a consciência, resolveu agir. Ela foi girando com ele, que pensando que ela tinha desistido de lutar, deixou. Micael caiu da cama pro chão, recebendo o impacto da queda no lugar dela, mas achou aquilo interessante. Sophia ficou por cima, sentada no colo dele, e amparada em seus braços. Os cabelos da loura montavam uma cortina em volta dos dois. Só que tanto ela quanto ele sentiram o lugar errado onde ela se sentou: Por cima da excitação nascente, ainda fraca dele. Fraca, porém perceptível. Micael pousou uma mão na cintura dela, mantendo-a ali, e a outra em suas costas, por baixo dos cabelos. Sophia ofegou e se deixou beijar por mais uns instantes. Deus do céu, como queria se entregar a ele ali mesmo, como uma mulher normal faria com o maior gosto. Porém, o desejo dele ia se tornando cada vez mais aparente, e o dela, apesar de não ser aparente, começava a fugir de seu controle. Ela, com um gemido frustrado, desceu os beijos pro pescoço dele, que não percebeu o que ela fazia. Ela continuou, pescoço, peito, barriga, tudo por cima da camisa. Uma vez livre dos braços dele, se levantou e bateu em retirada.

Micael: SOPHIA! – Chamou, incrédulo.

Sophia: Eu disse que não. - Falou, pulando pela cama de Arthur pra fugir.

Micael: Esqueceu as roupas. – Provocou, apontando pra trouxa no chão.

Sophia: Vou mandar a Kristen vir buscar. – Disse, alcançando a porta – Ficar sozinha com você nesse quarto é arriscado demais. – Confessou. Micael riu, exasperado, passando a mão no rosto.

Micael: Se mudar de opinião, sabe onde me encontrar. – Disse, com o rosto sob as mãos.

Sophia: Pode deixar. – Prometeu, saindo. Um dia, talvez.

Micael respirou fundo. Caminho errado a se seguir, ele assinalou. Daria espaço a ela, tempo pra se acostumar. Porém, Deus o abençoe, estava sendo difícil.

Há 3 dias · 0 notas · reblog
#web4

luaftsophia:

domingo delicia 😘❤️ @cocacolajeans :~ -@sophiaabrahao

dramaqueensophiaa:

Campanha maravilhosa com o Di e a Bruna para Coca Cola Jeans ! -Sophia Abrahão - via facebook

alwaysbelieveinsomic:

Sophia (@sophiaabrahao) e Carauta hoje

alwaysbelieveinsomic:

Foto postada no facebook oficial da Sophia (@sophiaabrahao) - “agora sem a minha janela ! haha ;))”

princessdocheiro:

que orgulho da minha janela 😁☺️😗 - @sophiaabrahao

Nay, se você não postar web hoje, eu vou ter um colapso
Anônimo

calmaaaa

Há 3 dias · 0 notas · reblog